Levou-me a Casa de Banquete (Especial Dia dos Namorados)

canticos 4v2.jpeg


Levou-me à casa do banquete, e o seu estandarte sobre mim era o amor. (Cânticos 2:4) 

 
Quando falamos em banquete, o que lembremos ?

Certamente, muitos responderiam que é o lugar aonde nos fartamos em comidas,bebidas e delícias. De fato, o conceito de banquete envolve mais do que isso,  mas uma refeição solene, especial, pomposa e com um grande número de convidados.

O ato de levar alguém para um banquete, mostra a disposição de um homem apaixonado de levar a sua amada para um lugar agradável onde existe o desfrute do amor em sua essência. Quando você convida alguém especial, que no caso,  para sair você não levará essa pessoa para qualquer lugar, mas para um lugar propício para a ocasião.

O livro de Cantares no capítulo 2 nos conta a história do Rei Salomão e sua amada Sulamita.  O mais interessante desse casal é que ambos possuiam algumas similaridades interessantes:

1) Era um casal que tinha uma intimidade extraordinária – Vemos que tanto o Rei, quanto sua amada, possuiam uma intimidade extraordinária, ou seja, algo excepcional, raro, incomum aos padrões de relacionamento.  Um casal que não se adequava ao costume geral de muitos casais, pois neles o romantismo era intenso. O romantismo de ambos exacerbava no amor mútuo.

2) Era um casal que não vivia na monotonia – Há casais que iniciaram em romantismo, mas acabaram terminando seus relacionamentos , pois faltava-lhes sair da rotina de afazeres e das preocupações do dia a dia.  Salomão não esquecia dos detalhes, antes pelo contrário, ressaltava as virtudes da amada. Há pessoas que só conseguem enxergar os defeitos do seu parceiro ou da sua parceira. Vemos muitas vezes as expressões em Cantares como por exemplo:  O meu amado é como… a minha amada é como..
Isso mostra que eles se enchiam de elogios e isso alimentava o relacionamento deles

3) Um casal que se respeitava mutuamente – Além dos elogios havia muito respeito de ambos. Vemos no livro de cantares expressões como: “Ó amado da minha alma”.. “mais formosa entre as mulheres”.. “querida minha”, “amado meu”..”Formosa minha” .Estas são algumas dessas expressões que permeiam esse livro mais íntimo e romântico das Escrituras e que nos serve de base para nossos relacionamentos conjugais. Eles eram respeitosos e resolvidos como casal, não dando brecha a ação do inimigo em suas vidas.

4) Era um casal de paz – Tanto o nome Salomão e Sulamita significam em sua etimologia respectivamente paz e pacífica(perfeição). Nesse caso, não eram apenas seus nomes, mas suas atitudes que demonstravam essa certeza.  Era um casal onde o ódio não imperava. Não havia lugar para acusações ou desrespeitos com objetivo de se vingar ou desvalorizar o conjuge. Digamos que não havia meninice no relacionamento deles, mas a paz reinava no lar. Quando cito isso, não digo que o relacionamento em tudo vai resultar em  paz, mas o diferencial é que um relacionamento conjugal saudável não é invadido,nem se deixa ser tomado por essas circunstâncias contrárias.

5) Um casal que tinha liberdade em amor (não se coagiam) – O ato de levar alguém a algum lugar sem consentimento não os constrangia, bem pelo contrário, antes gostavam de ser levados um pelo outro pelo outro em amor. Neles não havia coação, forçassão de barra como se diz. Ambos tinha a liberdade de ir e vir sem irresponsabilidades e ciúmes exagerados. Há casais cujo dominação e sentimento de posse acaba sufocando o relaciomento.  No relacionamento de Salomão e sua amada, não havia formalismos, superficialidade no relacionamento, mas uma espontaneidade apaixonante de um para com outro.  Não eram apenas palavras, mas atitudes de amor.
Eles ansiavam pelo amor , um pelo outro não se coagiam entre si. Era um pertencimento mútuo, ambos tinha senso de pertencimento numa só carne.  Vemos declarações como : Leva-me após ti… Leva-me a sala de banquete. Nesse caso, esse banquete não era apenas algo romântico, mas algo que envolvia a realeza, ou seja, não era um banquete qualquer, mas um Banquete Real entre o Rei e sua amada.   Quando falamos em banquete real falamos do melhor em todos aspectos. Precisamos aprender a fazer o melhor em nossos relacionamentos e não somente o trivial e o que todos fazem.  E isso não está relacionado a condição financeira, mas uma disposição de fazer feliz o seu conjuge..o seu amado.

6) Um casal que se completava – Era um casal que se completava, pois creio que deveria haver neles muitas diferenças, mas as diferenças culturais não impediam que seu relacionamento fosse impedido. Segundo relato bíblico, Sulamita era uma mulher de cor negra e Salomão um homem de origem judaica, ou seja, não havia preconceito nesse relacionamento. O interesse é que embora houvesse diferença, o que predominava naquele relacionamento era as virtudes de ambos.  Havia um anseio de ambos de se relacionarem e se completarem.  Não havia jogo de interesses, nem outras pessoas envolvidas. Tanto Salomão, quanto Sulamita enfatizavam que se amavam e se preferiam.
Esse relacionamento era repleto de juras de fidelidade, cartas poéticas e delcarações de amor.

Aliás nunca se ouve tanto a palavra amado, amada e amor como nesse livro. Um versículo especial me chama atenção, pois mostra a diferença entre o amor verdadeiro e o amor falso. Diz assim a palavra de Deus:

Põe-me como selo sobre o teu coração, como selo sobre o teu braço, porque o amor é forte como a morte, e duro como a sepultura o ciúme; as suas brasas são brasas de fogo, com veementes labaredas. As muitas águas não podem apagar este amor, nem os rios afogá-lo; ainda que alguém desse todos os bens de sua casa pelo amor, certamente o desprezariam. (Cânticos 8:6,7)

Este versículo fala de uma intensidade de um amor verdadeiro, que nem o tempo, as circunstâncias e todo tipo de ocorrência negativa poderiam apagar. Sulamita compara o ciúme (amor falso) duro como a sepultura, fadado a desaparecer com a morte
Porém cita o amor verdadeiro como algo para sempre. Ela fala sobre acima de tudo de um amor Eterno, que não vem apenas de um sentimento, mas Daquele que é amor, ou seja, o próprio Deus (1 João 4:8).  Quando a Sulamita cita de um amor mais forte como a morte, ela fala um amor que vai além do sentimento, mas um amor incondicional, quase sacrificial. Embora não seja citado o nome do Senhor nesse livro, entendemos que só podemos amar dessa maneira e realizar todas essas coisas se tivermos Deus em nossas vidas.  Um amor que completa o nosso ser e que vai além de uma paixão repentina.
Esse relacionamento entre Salomão e Sulamita mostra trambém a tipificação de Cristo e a a Sua Noiva. a Igreja. Não é por coincidência, mas a Igreja Cristã teve sua origem nos gentios, ou seja, num povo não judeu, como era a Sulamita.  Este Noivo (Cristo) se entrega totalmente a Sua Noiva em sacrifício e por fim irá buscar Sua noiva para suas Bodas para se deliciar com Ele na Eternidade . (Mateus 25:1-13;Efesios 5:25-27; Ap 19:7-9 ; 21:2-3) . Como diz o salmos 16:

Far-me-ás conhecer a vereda da vida: Na tua presença há plenitude de alegria; Na tua destra há delícias para sempre. (Salmos 16:11)

7) Um casal que se amava de verdade – Quando um casal se ama de verdade, esse amor transborda os limites do próprio relacionamento e atinge outras pessoas.  Quando a esposa fala de estandarte, ela cita uma bandeira.  O amor de fato é uma virtude indispensável para aqueles que desejam viver em paz.   A bandeira representa e identifica uma nação ou povo era como se fosse a marca de uma nação.
Quando se fala em bandeira sobre nós, fala de uma marca, de uma característica forte sobre aquele casal, ou seja, o amor. O amor traz em si as virtudes do bem, como a confiança, a compreensão, o cuidado,  a cumplicidade e a mutualidade. Nele há sentimentos românticos como o carinho, o afeto e desejo de fazer o outro feliz.
Aquele casal possuia ingredientes de um belo relacionamento, pois como vimos em Cantares eles diariamente plantavam um sentimento  uma para com outro saudável.
Esse sentimento não vinha apenas num aniversário de casamento ou numa  data festiva como hoje, no dia dos Namorados, mas era regada todos os dias.  Eles saiam da rotina todos os dias por isso foi um relacionamento próspero.

A história de Salomão e sua Sulamita nos inspira a vivermos uma vida conjugal e de amor diferenciada daqueles que estamos acostumados. Precisamos aprender com eles,
a viver um amor pleno que começa através de um relacionamento profundo e sem reservas com Deus.

Também em razão disso, nós como Noiva do Senhor precisamos aprender a viver em Intimidade com o Noivo.. Jesus…  Precisamos nos despir da hipocisia e religiosidade e
deixar fluir em nós o amor e a intimidade com  Deus para que as pessoas possam se espelhar em nosso amor e amar o Senhor da mesma forma.  Como num banquete real, os convidados precisam ficar impactados com a festa do amados.  Por isso precisamos dar o nosso melhor para nossos amados conjuges .
Precisamos como noiva do Senhor dar o melhor para Deus para que as pessoas possam acreditar no verdadeiro amor num mundo repleto de falsos amores.

Meu desejo que o nosso amor aos nosso conjuges seja referência como foi do
Rei Salomão com sua amada..

Amém

* Casamento da Mariana e do Rodolfo
Local: Lo Spaldino – Toscana, na Itália: http://lospadino.com/ 
Fotografia: Raphael Lucena – http://www.rapluc.com/

 

 

Publicado em Família, Relacionamentos, Vida Cristã | Marcado com , , | Deixe um comentário

Visite nossa Página no Facebook – facebook/missaocomcristo

Página do Facebook

Imagem | Publicado em por | Marcado com | Deixe um comentário

Anseio pela Presença – Você tem buscado?

Cura-efficace-kades-1-e1467104976746

O Deus, tu és o meu Deus, de madrugada te buscarei; a minha alma tem sede de ti; a minha carne te deseja muito em uma terra seca e cansada, onde não há água;
Para ver a tua força e a tua glória, como te vi no santuário.
Porque a tua benignidade é melhor do que a vida, os meus lábios te louvarão.
Assim eu te bendirei enquanto viver; em teu nome levantarei as minhas mãos.
A minha alma se fartará, como de tutano e de gordura; e a minha boca te louvará com alegres lábios, Quando me lembrar de ti na minha cama, e meditar em ti nas vigílias da noite. (Salmos 63:1-6) 

Será que de fato tenho ansiado pela Presença de Deus ?
De fato tenho profunda sede de viver a vida de Deus em mim?

O salmista, afirma que a alma dele tinha profunda sede; a carne dele desejava muito ,pois estava em terra seca e cansado, pois não havia “água”.
O desejo do salmista era que sua alma estivesse farta de gorduras como de tutano.

Não dá para se expressar com louvores a Ele se nossa alma vive seca. É necessário que a alma esteja farta, ou seja, cheia de alegria de Deus.. e só poderemos obter isto na verdadeira comunhão e intimidade com o Senhor.

Não existe outra forma de se fartar das delícias do Pai. Maria (a pecadora) esteve sempre procurando momentos para estar a sós com Jesus, por certo ela compreendeu que só seria preenchida se estivesse com Ele. Por isso não perdeu as “oportunidade” para falar e ouvi-lo. É preciso também dedicar-nos a ouvi-lo

O Salmo 63 nos traz o ensinamento da verdadeira satisfação :

1- O alvo –  Deus – vs 1-4
2- A esperança da satisfação – Alma farta (vs 5-7)
3- O caminho da satisfação (vs 8-11)

Quem em Deus se satisfaz não corre atrás de prazeres deste mundo (1 Jo 2:5-17)

Meditação – Deus é meu alto refúgio.. somente Nele confiarei

Damares Neres – Janeiro 2014

damares2
Damares Neres Santos é líder de intercessão, oração e adoração do Ministério com Cristo e da  Missão Com Cristo. Lidera o PAGA (Ministério de Intercessão) e a Casa de Oração de Itabuna

 

 

Publicado em Adoração, Oração, Vida Cristã | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

Lâmpada Para os meus pés é a Tua Palavra (parte 1)

lampada1

 

*Lâmpada para os meus pés e Luz para o meu caminho é a tua palavra(Salmos 119:105)

 

Há mais ou menos 20 anos atrás, participei como soldado do exército brasileiro de um campo na cidade gaúcha chama Butiá.  Foi uma experiência marcante para mim, pois nunca havia passado por tudo aquilo que passei naquele campo. Entre tantos obstáculos que enfrentei naquele “campo de provas”, uma prova particularmente me trouxe um grande tremor e temor.  E esta prova aconteceu quando participei de uma simulação de batalha a noite. Até aquele momento, a tropa havia somente sido treinada de dia, mas foi naquela noite que conseguimos entender de fato a dificuldade de andar, de ultrapassar os obstáculos, de guerrear e de chegar até o nosso destino.  Se não bastasse, a dificuldade da noite, num certo momento toda iluminação que havia naquele lugar sumiu. Também após isso começamos a ouvir   tiros por todos os lados e toda tensão que já havia , acabou se multiplicando. Ficamos atônitos e perplexos e perguntávamos um ao outro:

O que faremos? Para onde nós iremos?

Naquele momento nada podíamos fazer, pois a escuridão havia nos paralisado. Não poderíamos nos movimentar, pois poderíamos cair em buracos escondidos nas matas ou tropeçar em raízes de árvores espalhados no chão. Enfim tudo era muito perigoso. O medo persistia naquele campo, até que de repente um facho de luz iluminou aquele lugar e através dele conseguimos enxergar onde estávamos e chegar ao lugar de destino.

Sabe, nesta vida também passamos também por obstáculos difíceis. Há momentos onde nos deparamos com as trevas que tenta nos paralisar, nos fazer ter medo e tropeçar. Existem muitas armadilhas naturais da vida e outras que o inimigo sorrateiramente planejou para que não achegássemos ao nosso destino final que é o céu.

Porém as Sagradas Escrituras no salmo 119: 105 diz: Lâmpada Para os Meus Pés é a Tua Palavra, e Luz para o Meu Caminho. (Salmos 119:105).

Na época do AT quando foi escrito este salmo, a lâmpada não era como hoje conhecemos, mas era uma pequena lamparina feita de cerâmica e um pequeno pavio que passava pelo bico até atingir o azeite onde de fato a luz era acesa. Aquela pequena lamparina não iluminava muito, mas era suficiente para iluminar o ambiente ajudando as pessoas saberem onde estavam e a encontrarem o seu caminho.

A palavra de Deus, como luz, é suficiente para iluminar nossos caminhos e nos fazer chegar até o nosso destino. Diz as Escrituras que o mandamento do Senhor é lâmpada e a instrução uma luz e as repreensões da correção caminho da vida (PV 6:23). Não basta saber pra onde vamos, senão compreendemos aonde estamos.

Por isso precisamos iluminar nossos caminhos pela palavra, bem como, a nossa alma.

A palavra de Deus diz que a alma do homem é a lâmpada do Senhor a qual esquadrinha todo o mais íntimo do corpo (ventre).  (Pv 20:27)

Precisamos que a luz da palavra de Deus ilumine toda nossa alma, todos os nossos pensamentos e todos nossos desejos.  Muitas vezes os nossos olhos e nossa alma  estão cheios e obscurecidos pelas concupiscências da carne e pela soberba da vida, sendo que isso  não procede do Senhor (1 Jo 2:16).

Também diz que se nossos olhos forem bons, todo nosso corpo será bom, porém se nossos olhos  forem maus, todo o corpo ficará em trevas. (Lc 11:34-35).

O Senhor nos adverte em Lucas 11:35 dizendo: “Repara que a luz que há em ti não sejam trevas”, querendo dizer que nossa vontade deixar a luz entrar em nossa alma ou não. Como está escrito: Tu, Senhor, és a minha lâmpada; o Senhor é aquele que  derrama luz nas minhas trevas (2 Sm 22:29) .

Para prosseguirmos e caminharmos seguros nesta vida é necessário então que a nossa alma seja iluminada a cada dia pela Luz do Senhor, que é a Sua palavra. Essa segurança declarava o salmista quando dizia:

O Senhor é minha luz e a minha salvação, de quem terei medo (Sl 27: 1)

* Primeira Parte da palavra ministrada na Igreja Esperança e Vida em Itabuna em 06.07.2014.

Publicado em Vida Cristã | Marcado com , | Deixe um comentário

Hello world!

Welcome to WordPress.com! This is your very first post. Click the Edit link to modify or delete it, or start a new post. If you like, use this post to tell readers why you started this blog and what you plan to do with it.

Happy blogging!

Publicado em Vida Cristã | 1 Comentário